Burrices e intrigas previsíveis, porém imperdoáveis

POLÍTICA BRASIL

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão  serrao@alertatotal.net

Membro do Comitê Executivo do

Movimento Avança Brasil

Comete uma burrice tática e estratégica quem tenta fomentar intrigas entre o Presidente eleito Jair Bolsonaro e seu vice Antônio Mourão. O ato é um gol contra absoluto. É imperdoável que tamanha burrice e infantilidade aconteça em uma “seleção de ministeriáveis”. Trata-se de uma jogada antipatriótica, egoísta, que afronta a vontade da maioria do povo brasileiro que votou a favor da pacificação, honestidade e melhoria econômica do Brasil.

Ainda bem que Bolsonaro e Mourão têm jogo de cintura suficiente para não cair na armadilha dos craques da vaidade – que falham e batem cabeça antes mesmo do time entrar em campo para valer, a partir de 1º de janeiro. Presidente e Vice não precisam se apaixonar um pelo outro, porém precisam estar unidos para combater a bandidagem institucionalizada. A segurança da obra exige que os craques da intriga sejam expulsos do time ou, no mínimo, mandados para o banco de reservas.

Outra mancada tática e estratégica, também inaceitável e imperdoável, é cometida pelo comando da mais alta Corte Judicial do Brasil. Não dá para acreditar que o ministro José Dias Toffoli tenha encaminhado à Procuradoria Geral da República e ao Ministério da Segurança Pública um pedido de providências sobre as críticas feitas ao STF pelo advogado Cristiano Caiado de Acioli, aproveitando que o ministro Ricardo Lewandowski viajava no mesmo avião da Gol.

O presidente do STF oficiou: “Solicito que sejam adotadas as providências cabíveis quanto aos fatos narrados pela Secretaria de Segurança desta Corte e consistentes em ofensas dirigidas ao Supremo Tribunal Federal, ocorridos, na data de ontem, com o senhor ministro Ricardo Lewandowski, em vôo comercial que partiu de São Paulo com destino à Brasília”.

O pedido de Toffoli deixa claro que a máquina do STF não entendeu, realmente, o que aconteceu no gravíssimo episódio que foi muito além do avião. O protesto ganhou o mundo em um vídeo, graças a um protesto do Movimento Brasil Livre que projetou, em raio laser verde, na fachada do prédio da Corte, os dizeres: “O STF é uma vergonha”…

Fala sério… É pública e notória a bronca da opinião pública contra o STF, seja pelas decisões impopulares ou pelas sentenças polêmicas e incompreensíveis para o cidadão que não domina o pomposo juridiquês. O protesto no avião só prosperou pela reação desequilibrada e arrogante do ministro Lewandowski, imediatamente ameaçando o crítico de prisão, em vez de ficar quieto ou dialogar civilizadamente. A coisa piorou quando a Polícia Federal “segurou” o advogado para um depoimento que durou quase 7 horas. O pirão desandou com a reação nas redes sociais da Internet e com o protesto a laser do MBL.

A situação agora saiu de controle. O Jornal da Cidade On Line cita a reação de uma jovem juíza de Minas Gerais que – pelo andar das carruagem empurrada por burros – pode render punição pelo Conselho Nacional da Justiça. Ludimila Lins Grillo não aceita a tese, apresentada pelo STF, que “ao presenciar ato de injúria ao STF, o ministro sentiu-se no dever funcional de proteger a instituição, acionando a autoridade policial para que apurasse eventual prática de ato ilícito, nos termos da lei”.

Ludimila explicou: “Injúria é crime previsto no artigo 140 do Código Penal. Não podem sofrer injúria entes e poderes públicos, ou quaisquer pessoas jurídicas, pois se trata da violação da honra subjetiva – coisa que somente humanos possuem”. Lidimila também deu um conselho aos 11 entes supremos de carne, osso e alma: “Viver entre afagos e rapapés faz alguns perderem as estribeiras ante a menor contrariedade, a ponto de até mandarem prender o opositor. Em suas majestosas bolhas, nem notam que a vida não é só bajulação: o Twitter seria bom treino para fortalecer suas frágeis suscetibilidades”.

Resumindo: A maioria dos ministros do STF precisa retornar, urgentemente, ao mundo real. A imagem da instituição está desgastada. Isto é gravíssimo, porque uma Corte Constitucional é fundamental para a Democracia – a Segurança do Direito. Infelizmente, no Brasil, convivemos com a insegurança jurídica, legal, política, econômica, social e individual. Os 11 do STF são inteligentes o bastante e ganham muito bem para compreender e fazer uma autocrítica sobre a responsabilidade de cada um deles em nosso caos institucional.

Se o Executivo não se entender, o Judiciário não se acalmar e o Legislativo não tomar vergonha na cara, o Brasil será desintegrado em uma guerra de todos contra todos. O povo já deu o ultimato na eleição 2018: quer paz, honestidade e segurança… Basta de corrupção – mas chega também de burrice…

Leia o artigo de Antônio José Ribas Paiva: Democracia no Supremo

veja o vídeo >Quem disse que o crime não compensa?

veja o vídeo >Depoimento de um ex-presidiário, preso novamente, é comovente…

Ao contrário do que a mídia divulga, o PMs do RJ não mataram o marginal, mas sim SALVARAM a idosa de 83 anos que havia sido feita de refém. Bolsonaro elogiou no Twitter…

 

Vida que segue… Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 6 de Dezembro de 2018.

Postado por Jorge Serrão

http://www.alertatotal.net/2018/12/burrices-e-intrigas-previsiveis-porem.html

Deixe uma resposta